Fiz-me negra em existência,
tal a tristeza que me abraçou...
Falei de dores, de amor, de desistência...
Falei de injustiças, questionei até minha fé...
Reclamava do tempo que se arrastava,
reclamei de tudo, chorei...
lágrimas sentidas,
que brotavam da negritude do momento...
Preto é uma cor tão bela!
Como belas são todas as cores.
Mas, pintei-a de sofrimento..
apenas representei...
O tempo...Esse artista de tudo,
veio, começou a trabalhar diferente...
Fez-se verde, branco, fez-se rosa, fez-se azul,
criou novas cores...tons!
Quanta beleza mostrou!
Pintou tudo,
coloriu,
refletiu a beleza do existir...
Ah! quanto somos apressados,
desesperados,
cegos ás soluções...
Isso não é meu, nem seu:
É nosso...Humanamente nosso!!!!
O tons mudam, 
o tempo modifica tons e pessoas,
quereres, anseios..
Nessas tantas telas de vida,
de épocas,
de fases,
nem sempre bonitas...
Por vezes, rabiscos sem nexo.
Vejo agora novas cores,
do mundo que não pára,
segue seu ritmo,
seu destino...
Assisto com olhos de cores diferentes,
Cores que pintam a vida da gente...
Mudei o tom!
Aprendi cores novas,
Novas paisagens,
Sofri, não nego,
mas, quer vitória maior?
Cresci!


Jane Lagares


Brasília, 23 de abril de 2001

 


 

 
 

 

 

 

 

 

Compartilhe Twitter Compartilhe Google +
Enviar Pagina Por Email