Onde andas?!
Onde teus passos te conduzem?
Onde se encontra teu olhar? 
 
Preciso encontra-lo novamente
Para melhor compreender-me
E me reconhecer
Redescobrir velhos valores
Pela vida adormecidos
Pela angústia apodrecidos
 
Onde andas?
Preciso que se importe comigo
Desfrutar da alegria contigo
Disfarce-se de anjo, bruxo
Venhas ter comigo
 
Onde andas?
Que até nos meus sonhos esconde-se
Nem acordada e nem adormecida
Consigo vê-lo, senti-lo
O amor é a maior obra de arte d'alma
Vem pintar, esculpir, desenhar
Todo teu corpo no meu
Fazendo dessa obra de arte
a mais bela exposição
 
Onde andas?
Que sentido tem a vida sem tu?
Que sonho há de brilhar?
Nada tem sentido
Tentei conformar-me com distâncias
Alienei-me no tédio
Adormeci no conformismo
Nada adiantou
 
Onde andas?
Que desafia-me a te buscar?
Afirmando a mim mesma
Que o desafio ainda me mantém viva
 
Onde andas?
Vem, vem dizer que certa  estou
Em seguir afirmando que...
O futuro é sempre de esperanças
Que o conforto do abraço ainda é
Liberdade para sermos nós dois
 
Onde andas?
Um sinal apenas suavizaria
Diga-me por favor!
Onde andas?

 
Marillena S. Ribeiro
Videira/SC
2003
marillena@pop.com.br
 
Este texto encontra-se protegidos pela Lei Brasileira nº 9.610, de 1998, por leis e tratados internacionais.


 

 

Compartilhe Twitter Compartilhe Google +
Enviar Pagina Por Email