Jane Lagares

O vazio é invisível, como o sentir.
Cheio como o todo infinito dos dois.
Opostos e iguais,
apenas sentimentos,
incomensuráveis,
profundos.
Não existe a dor,
mas doem profundamente.
Não existe o todo,
mas sente-se tudo dele.
É transposto,
transformado.
Espaço do nada,
do que não se pode ver,
preenche o espaço do vazio..
Falta o espaço do sentir.


Brasília, 11 de julho de 2001
Voz: Jane

 

 


     
           
           

 

 

 

Compartilhe Twitter Compartilhe Google +
Enviar Pagina Por Email